As 9 dicas mais eficientes para os estudos, segundo a ciência

As 9 dicas mais eficientes para os estudos, segundo a ciência

Não é só no trabalho que precisamos de organização. Nos estudos também é preciso inteligência na hora de distribuir as tarefas para um melhor desempenho.

E parece que nossa cabeça gosta de nos pregar pegadinhas: nos concentramos facilmente em um jogo, vendo um filme ou passando horas no Instagram, mas a distração vem com facilidade na hora dos estudos.

O site americano Best Colleges reuniu diversas dicas, comprovadas pela ciência para ajudar na hora dos estudos e nós do Grupo Projetar, compilamos aqui para vocês! Confira:

  1. Faça de conta que você é professor

Várias pesquisas mostram que é mais fácil relembrar o conteúdo quando você estuda com a intenção de ensinar a alguém. Desse jeito, você acaba buscando métodos de recordação e de organização para exercer esse a papel de ensinar.

Se você tiver oportunidade, experimente ensinar o que você está estudado para algum amigo ou parente. Pode ser até um amigo imaginário. O importante é ter a expectativa de “ser professor” desde o momento de estudo, porque é ela que proporciona os benefícios.

2. Mude de cenário

Pode parecer besteira, mas mudar de local frequentemente durante os estudos pode ter um grande impacto nas habilidades de aprendizado. Um psicólogo da UCLA, por exemplo, apontou que trocar de local de estudo aumenta pode aumentar os níveis de retenção de informações e concentração.

3. Alterne os conteúdos

Às vezes queremos passar um dia inteiro estudando um único tema e isso é cientificamente comprovado que não é tão produtivo. O ideal é variar e até intercalar com assuntos relacionados e semelhantes, mas nunca apenas uma área.

Você pode intercalar o aprendizado de um idioma, com filmes sem legendas da mesma língua, por exemplo.

4. Use o sistema Leitner

O sistema Leitner é o mais conhecido para utilizar “cartões de memorização”. Ele serve para aprender o conteúdo com o qual estamos menos familiarizados, usando o método de repetição.

Um bom aliado é o app Anki ou o Ankiweb para o computador, que utiliza do sistema Leitner on-line. Neste aplicativo você ainda consegue anexar imagens, áudios, vídeos e citações científicas e ainda pode sincronizar com o celular e com o computador.

5. Impeça a “curva do esquecimento”

A curva do esquecimento vem sendo estudada por cientistas desde 1885 e ainda assim é algo a ser levado em conta quando se estuda. Quando você aprende algo novo, o ideal é que reveja o conteúdo dentro das primeiras 24h, pois, de acordo com estudos científicos, você tem 80% de aprender mais nas primeiras horas. E como tem efeito acumulativo, nas próximas semanas você terá a capacidade acumulativa aumentada. Portanto, esqueça que aquela estudada perto da prova vai ser mais produtiva.

Materiais impressos ajudam mais que os eletrônicos, diz a ciência

6. Utilize material impresso

Acreditem se quiser, mas os materiais impressos têm mais vantagem na hora dos estudos do que os eletrônicos.

Um professor de psicologia da Universidade de Leicester, na Inglaterra, descobriu que os alunos precisam de mais repetição para aprender quando leem na tela do computador em comparação à quando consultam apenas material impresso. Por isso, use e abuse dos livros!

7. Faça conexões entre ideias

Mais um fato comprovado cientificamente: a diferença entre quem aprende rápido e devagar é a maneira como estudam. Ao invés de memorizar, os alunos mais rápidos fazem conexões entre as ideias.

Conhecido como aprendizagem contextual, o processo é crucial e exige que cada aluno personalize seus próprios métodos de aprendizagem, fazendo conexões que relacionem as informações para começar a se encaixar e fazer sentido.

8. Não releia, relembre

Um professor de psicologia da Universidade de Washington publicou um artigo na Psychological Science aconselhando os alunos contra o hábito de leitura e releitura. Acreditam?

Segundo esse professor, ler e reler os materiais podem levar você acreditar que conhece bem o conteúdo, mesmo não sendo bem verdade. Ao invés disso, um bom método é utilizar a “recordação ativa”, falando em voz alta tudo o que podem lembrar para praticar a memorização a longo prazo.

9. Estude quando estiver cansado

A nossa última dica pode parecer meio contraditória, mas de acordo com a ciência, faz sentido.

Estudar quando você está mais cansado e depois ir dormir pode realmente ajudar seu cérebro a reter mais informações e tem até uma expressão pra isso: “sleep-learning”.  

Isso porque o processo de consolidação da memória está em seu melhor momento durante o sono, melhorando a capacidade de retenção antes de dormir, o que ajuda na revisão daquele conteúdo.

Gostaram das nossas dicas? Fique ligado nos nossos conteúdos aqui no blog e ligue para a gente e reserve a sua sala conosco para te ajudar nos estudos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Abrir Chat
Vamos conversar?
Olá!
Como podemos te ajudar?